Primeiro passo para Ser um Jovem Nômade!

by Bruno Marangoni – 5 min de leitura

Ainda quando eu estava sem saber ao certo “o que fazer da vida”, super desmotivado com os resultados e, vergonhosamente confesso que, em alguns momentos, cheguei a culpar certas pessoas pelos resultados que eu estava tendo em minha vida. E esse é um completo engano. Não há como culpar outra pessoa pelo que é 100% minha responsabilidade, ou seja, a minha vida.

Foi quando eu, em um único dia, tomei consciência de uma ponto esclarecedor em minha vida. E esse ponto esclarecedor veio através de 3 lugares completamente distintos.

Sempre fui muito de ler livros, assistir vídeos, pesquisar artigos. É um prazer pra mim sempre estar alimentando minha mente com coisas boas. Acredito que, literalmente, somos aquilo que comemos, não só em termos de alimentos, mas também de informações que “ingerimos”.

Acredito piamente que somos a média das 5 pessoas que convivemos. Mas o que é conviver? Não seria estar próximo de alguém com frequência? Ou relacionar-se com coisas, situações e ambientes?

Sendo assim, gosto de elevar a média das 5 pessoas, convivendo com grandes mentes através do hábito diário de leitura e de vídeos que assisto. Assim, permaneço próximo ao estado de alta performance e otimismo dessas pessoas.

Reforço: somos aquilo que comemos, não só em termos de alimentos, mas também em relação as informações que consumimos diariamente.

E num num desses momentos que eu estava me sentindo “fora do eixo”, decidi sair caminhar as 06h da manhã ouvindo um audiobook do querido Osho.

Ele apresentava uma mensagem espiritual que teve um profundo sentido para o momento que eu estava passando e carrego isso comigo todos os dias.

Ele dizia que tolo é aquele que acredita que é capaz de fazer tudo sozinho sem a Graça de Deus. E ainda disse, tolo também é aquele que nada faz e apenas espera que Deus faça tudo por ele.

E por fim, a mensagem que me chamou atenção foi quando falou que bem aventurado é aquele que trabalha duro e espera em Deus.

Isso havia me chamado muito a atenção e passei o dia pensando a respeito disso.

Eu percebi que eu não estava gerando valor. Eu não estava fazendo minha parte. Simplesmente eu estava sendo um tolo achando que as coisas cairiam de mãos beijadas em meu colo.

Ainda no mesmo dia, assisti um conteúdo no Netflix do Tony Robbins. Ele comentou de uma experiência que teve, ainda jovem, ele estava em sala de aula e quis fazer uma garota bonita se impressionar com ele. Disse que, tinha que fazer uma apresentação em frente a turma e, para chamar atenção da garota, ficou parecendo engraçado em sua apresentação, exagerando sua fala e gestos. Ao final da aula o professor o chamou para conversar. Estava certo que iria ganhar uma bronca, mas não era isso. O professor disse que ele tinha um dom, uma habilidade que precisava desenvolver, e o deu um material para ler. Tony disse que aquele material mudou a vida dele. Mas o que mais chamou sua atenção foi que, a única coisa que ele realmente fez, foi apresentar-se. Ele não pediu nada ao professor. E ele disse: “aquilo foi uma graça de Deus para mim”.

Novamente refleti, “as coisas só podem ‘acontecer’ se eu fizer algo, se não fizer a minha parte, a ‘outra parte’ não surgirá”.

Ainda no mesmo dia, enquanto assistia alguns vídeos no Youtube, assisti um vídeo incrível do Gary Vaynerchuk onde ele fora entrevistado sobre sua carreira como Youtuber, quando ele fazia seus vídeos sobre vinhos. Ele disse que demorou 19 meses para começar a ter alguma visibilidade considerável. 19 meses! Não 30 dias ou 3 meses. Ele disse que o segredo é ter paciência e trabalhar duro. Interessante né? Quantas vezes até temos disposição de trabalhar duro. Mas e a paciência para esperar o tempo necessário?

E, por incrível que pareça, ainda no mesmo dia, em minhas pesquisas eu encontrei uma outra mensagem fantástica em um livro de 1910 chamado A Ciência de Ficar Rico do escritor Wallace Wattles. Ele dizia que só podemos ficar rico de corpo, mente e alma se gerarmos algo de valor para as pessoas. Só assim teremos algo em troca. Mas tem que ser algo de valor. Não adianta conseguir algum dinheiro iludindo as outras pessoas. Isso é insustentável.

Perguntaram para Gary Vaynerchuk quanto de dinheiro ele ganhou no começo da sua empresa. Ele responder: “Ganhar dinheiro? Eu perdi dinheiro! Eu coloquei milhares de dólares para isso acontecer, eu paguei o preço para isso acontecer!”

E ai foi que eu tive um insight grandioso. “Eu, de fato, só pude receber essas informações valiosas que estavam por ai, por que eu fiz algo, se eu não tivesse feito, não teria as recebido”. Foi quase como um “eureca”.

Percebi que enquanto eu ficasse infeliz nada aconteceria. Eu teria que assumir a responsabilidade que é só minha de fazer a minha parte. E ter PACIÊNCIA.

Trabalhar duro é a parte que tenho que fazer. Ter paciência para permanecer firme até o dia em que a Graça surja.

E para muitos que nos perguntam sobre “Como é ser um Jovem Nômade?” ou “Como vocês ganham dinheiro com isso” esse artigo trás, ainda que de maneira abrangente (mas contém todo o sentido que é, de certa forma, nosso combustível diário), a resposta para essas perguntas.

Em breve publicaremos aqui maneiras práticas sobre como Ser um Jovem Nômade. Mas, se entenderem o que esse artigo quer dizer, vocês já terão dado um imenso passo em direção a liberdade de ser quem são de verdade, fazerem o que amam e se realizarem com isso.

É Trabalhar Duro e Ter Paciência, every fuking day!

Um abraço, Bruno Marangoni, um Jovem Nômade.

Bem-vindo ao estilo de vida: Jovem Nômade!

Amamos o que fazemos, amamos nosso estilo de vida Jovem Nômade e queremos compartilhar isso com você através de nossas experiências. Nos comprometemos a registrar tudo o que vivenciarmos e compartilhar com vocês através de nosso Blog e de nossas redes sociais:

Comments

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *